The Eye

 

                                          OLHOS E O COMPUTADOR

   Instrumento fundamental na vida moderna, o computador é também causa de um mal
   que acomete cerca de 60% dos usuários de computadores: A FADIGA OCULAR.

   Da mesma maneira que os músculos das mãos são afetados pela LER (Lesão por
   Esforço Repetitivo), os músculos ciliares ( a grosso modo podemos dizer que são os
   responsáveis pelos movimentos dos olhos), também podem ser acometidos por este
   problema.

                                              

   Tal qual a LER dos membros superiores, atinge preferencialmente os usuários
   costumazes de computadores, pessoas que passam maior fração do dia na frente de
   seus micros.  Sensação de peso nas pálpebras, ardência nos olhos, cefaléias e dor
   nos ombros são alguns dos alertas que o organismo nos dá para dizer que o sistema
   ocular precisa de repouso.

   ALGUMAS RECOMENDAÇÕES:  

  1. Tente equilibrar seu tempo na frente do monitor.  A cada 50 minutos de trabalho, pare por 10 minutos, fazendo atividades que levem seus olhos a focar maiores distâncias (quanto mais distante maior será o relaxamento da musculatura).

  2. Evite reflexos na tela.

  3. Adeqüe, quando possível, a iluminação do ambiente.

  4. O monitor deve estar abaixo da linha dos olhos, de tal forma que os olhos estejam, no mínimo, na  mesma altura da moldura superior do monitor.

 Obs.:  Os usuários de laptops já atendem a este quesito, portanto tais adaptações 
           devem ser feitas pelos que usam desktop.

  1. Substituir os monitores convencionais pelos LCD que causam menos transtornos.

 

   A fadiga ocular é na verdade a perda da capacidade (de forma transitória) da 
   musculatura ciliar de alterar o formato do cristalino, o que leva a incapacidade e/ou
   dificuldade de alternar os planos de visão (longe/perto).

   A fadiga ocular diverge da presbiopia (vista cansada) pela sua transitoriedade, já que
   a presbiopia é permanente e progressiva.  Contudo, nota-se que a cada dia a
   presbiopia tem se manifestado mais cedo , deixando de ser atributo exclusivo dos que
   chegam à idade dos “ENTA”.

   Caso você se enquadre nos sintomas acima, recomendamos que procure seu
   oftalmologista para verificar a real extensão de seu problema.

   ler mais matérias